sexta-feira, agosto 07, 2009

"Ok, a poesia vende, mas muito pouco..."

Dos 89% de leitores que compraram poesia neste meio ano (e responderam ao inquérito do Poesia Ilimitada), 47% não chegaram a fazê-lo à média de um livro por mês. A esses - e a novos visitantes deste blogue que se revejam nessa permissa - gostaria de fazer a pergunta que se segue, bem como convidá-los a comentar o resultado deste inquérito:






8 comentários:

João Luís Barreto Guimarães disse...

Para que não se torne desnecessáriamente recorrente o comentário de que a amostra deste inquérito está à partida viciada, porque o mesmo foi colocado num blogue de poesia, devo lembrar que o inquérito pretende perceber os hábitos dos leitores de poesia e não os da população em geral.

Obrigado.

Felipe disse...

Puxa, eu ainda não tinha pensado nisto, mas acho que comprei sete livros de poesia neste ano. E eu não sou um bom leitor de poesia. Talvez eu esteja tomando gosto pela coisa. :-)

Fátima disse...

Não comprei nemhum livro de poesia para mim, este ano;comprei para amigos que gostam. Se gosto de poesia? Pode ser difícil de ler e de perceber, requer esforço extra, às vezes rima e tem música... prefiro textos com assuntos bem explicados, prosa corrida.

Carlos Ramos disse...

A resposta parcial, como todas no seu amago de verdade, poderá ser pelo simples facto do poder de compra do cidadão nacional ser muito reduzido, não nos pudemos esquecer setecentos e poucos euros mês de salário médio mensal. Dpois, como disse a comentadora Fátima, a generalidade dos leitores prefere o texto bem explicado, que se pode encontrar na generalidade da prosa a granel. Consumir poesia, será sempre um assunto de elites, não quero eu dizer queas pessoas que o façam sejam melhores ou mais inteligentes que as outras. Mas a poesia requer um certo treino, capacidade de abstracção e sobretudo um coração multicor.
Abraço e felicitações por este belo espaço.

Lili disse...

Bem...sinceramente nunca tinha pensado muito nisto.
Eu gosto de poesia, escrevo poesia, interesso-me por poesia...blogs, revistas, publicações, mas se me perguntarem quantos livros comprei no último ano são realmente poucos...
Sempre que tenho oportunidade de comprar um livro, as escolhas para a poesia são escassas.

A verdade é que, a nível geral, dá-se muito menos visibilidade á poesia do que a outros géneros literários. Depois existe toda uma infinidade de pessoas que argumentam não compreender a poesia, desistindo facilmente, não chegando sequer a conhecer a beleza nela contida.

Liliana Jasmim Gonçalves disse...

Dentro dos leitores de poesia, importa perceber do que estamos a falar; por exemplo, há leitores de poesia diria 'solta' nos blogues, revistas e afins.

Quando referimos ao leitor de poesia, que procura livros penso que já se enquadra noutro 'perfil'. Habitualmente este leitor é vivo, ou seja, procura por si novos autores e sabe de locais de venda onde pode encontrá-los.


A poesia continua a ser, no meu ponto de vista, um género muito restrito neste aspecto.

As próprias livrarias viciam o leitor, com poucas ofertas, o não conhecer mais autores. Felizmente há as que fogem a essa forma de existência, mas chegam ao conhecedor de poesia mais atento, como anteriormente o disse, mais 'vivo' na sua procura. E é um ciclo, quem mais conhece, mais procura, mais reúne autores e livros que quer adquirir e por consequência (nem sempre directa) mais livros adquire.

Penso que leitura é uma formação e nesse aspecto há problemas de 'raíz' no campo da poesia. Os livros de poesia habitualmente nem são os mais caros; o que acontece é que o público - mesmo referindo os leitores habituais do género - nem sempre foram ou são 'habituados' ao cultivo de um gosto próprio de selecção e procura de novas coisas. E se isso não existe, parece-me que ir-se-á lendo o que 'aparece à mão' - entenda-se a expressão.

Por fim, resta-me acrescentar, que achei interessante este inquérito, precisamente num blogue em que se privilegia a poesia.Importa consciencializar o porquê tendencialmente certas coisas acontecerem, e, neste caso, na leitura/compra de livros de poesia.

Afinal que tipo de leitores de poesia somos? ;)

Cumprimentos

pdah disse...

devo ter comprado 30 livros de poemas o ano passado. mantendo a média até agora este ano. e não compro mais por questões de orçamento, sem dúvida.

João Batista dos Santos disse...

Poesia ruim, cheia de chavões e sem criatividade nenhuma vende. Poesia boa, criativa, original, em geral vai parar nos sebos. É como música clássica, não vende, música "sertaneja" moderna vende pra xuxu, e é uma porcaria. João.