domingo, maio 10, 2009

Um post que é preciso ler

Um post muito bom de José Miguel Silva.

«Não há nada mais fácil do que parecer profundo e perspicaz em verso. Não tem nada que saber: basta enchumaçar de alusões vagas os poemas, evitar quaisquer referências ao que quer que seja de concreto, nublar o discurso com cogitações tão confusas e gratuitas quanto possível, articuladas no modo elíptico da poesia pós-mallarmeana e vanguardista do século XX. Habilmente mutilado, gramatical e semanticamente, até o fraseado mais oco adquire um não sei quê de prestigiante mistério num país, como o nosso, onde o leitor/poeta médio continua a achar que um discurso é tanto mais “fascinante” ou “poético” quanto mais abstruso e incompreensível. Com isso, não admira que a mais vítrea estupidez passe, amiúde, por alto logro estético e intelectivo, e que o chiste de Agustina Bessa-Luís em Fanny Owen – “Se queres parecer inteligente, veste-te de preto e está calada” – pudesse ser reformulado em: “Se queres parecer inteligente, veste-te de preto e escreve versos sem sentido.”»


3 comentários:

Catarina disse...

Não há como não concordar com o post dele, ainda assim, a conversa é um pouco "mais do mesmo". Seria interessante que neste país começassem a haver reflexões sobre a poesia e os poetas de hoje que saíssem um pouco das dicotomias de sempre.

Giuliano Quase disse...

porra!

Há algum aqui também muito interessante que o josé miguel me fez lembrar:

http://www.cronopios.com.br/site/colunistas.asp?id=657#texto

um abraço

Camillo César Alvarenga disse...

Veritas