sábado, novembro 03, 2007

Poesia & Lda, feito pelos seus leitores - JACQUES PRÉVERT (2)


Ainda o "Para fazer o retrato de um pássaro"

Caro Poeta,

Cumprimentos. Este meu novo contacto é só para informar que já sei quem é o autor da tradução que lhe mandei. Como não fiquei satisfeito, e como de vez em quando sou persistente (para não dizer teimoso), resolvi investigar, até porque me lembrava muito vagamente de o ter visto publicado. E era verdade! A tradução é do Eugénio de Andrade, publicada pela primeira vez na revista
Vértice e depois em 1980 no livro de traduções com o título "Trocar de Rosa". Nele constam dois poemas do Prévert. O outro é o "Bairro Livre", cortado pela censura e que transcrevo abaixo.


BAIRRO LIVRE

Meti o bivaque na gaiola
e saí com um pássaro na cabeça
Então não se faz a continência
perguntou o comandante
Não
não se faz a continência
respondeu o pássaro
Ah bom
desculpe julgava que se fazia a continência
disse o comandante
Ora essa toda a gente se pode enganar
disse o pássaro.


Renovo cumprimentos
Amílcar Mendes


2 comentários:

Rui Manuel Amaral disse...

Este poema foi reeditado na "Rosa do Mundo", da Assírio.

Jacob Jakovski disse...

Lindo poema