sábado, agosto 05, 2006

E. ETHELBERT MILLER

Como eu estava a dizer, há dois meses atrás, pareceu-me muito interessante aquele poema de Manuel de Freitas, “Martha”, incluído no livrinho “O Coração de Sábado à Noite” (Assírio & Alvim, 2004), por tão ousadamente, numa aparente homenagem a Tom Waits, desafiar a noção de poema. Aqui segue outro texto, outro exemplo, que encontrei este Verão, do americano E. ETHELBERT MILLER (Nova Iorque, 1950), que explora igualmente o limiar e o limite do que pode ser o real conteúdo de um poema.



ANOTHER LOVE AFFAIR/ANOTHER POEM

it was afterwards
when we were in the shower
that she said

“you’re gonna write a poem about this”

“about what?” I asked



§



OUTRO CASO/OUTRO POEMA

foi mais tarde
quando estávamos no chuveiro
que ela disse

"ainda vais escrever um poema sobre isto"

"sobre o quê?" perguntei



3 comentários:

salomé disse...

e cito-o:
"um dia passa chega outro depois outro e sempre temos
alguma coisa a saber uns dos outros: alguma coisa"

manuel a. domingos disse...

Às vezes somos
só nós
os três.

Tu
Eu
e a tua bicicleta

Às vezes tenho ciúmes
da maneira como as rodas
viram e giram

Da maneira como as tuas mãos
seguram o volante
quando partes


E. Ethelbert Miller, versão de manuel a. domingos

Tit disse...

Há poemas que nos deixam... sem palavras. Apenas com um sorriso. Este é sem dúvida um deles.
Simples.
Bonito.

Vou "Roubá-lo" para o meu canto... e por isso deixo um obrigada. ;)

[Parabéns por este espaço que visito com regularidade.]